sexta-feira, 6 de junho de 2008

Não existirá um matador do Twitter tão cedo

Enquanto fuço a lista dos clones do Twitter aí postado, vou pensando..... Não vejo um twitterkiller no horizonte. Há vários problemas para que isso surja. Dois dos principais são:

1) O problema não é sair do Twitter. Isso a gente faz em dois cliques. O problema é levar a rede construída junto. E não é a galera que te segue. É quem vc decidiu seguir, grandes pensadores da Web, figuras do mundinho e gente descolada que têm no Twitter o único ponto de troca de experiências em comum.

2)Nós q somos novidadeiros não somos burros. Sabemos q provavelmente nenhum site vai aguentar um fluxo repentino e grande de usuários sedentos por trocar informações. Cite um caso, fora o Facebook, que tenha se dado razoavelmente bem em uma invasão dessas.

Com isso, penso que não existirá uma aplicação matadora para o Twitter simplesmente pq a saída mais óbvia para esse momento é um compartilhamento entre elas. Ping.FM, Twitter, Jaiku, Ponwce, Plurk, Facebook, Orkut. Vamos estar em algum ponto e em todos os pontos. Na verdade, tudo isso vai girar em torno de nós e não nós em torno deles.

---o q me leva a ficar ansioso para o novo hype pós-twitter. Não consigo imaginar algo inovador se tudo ficar sendo compartilhado por um bom tempo. Algo teria de ser muito diferente para quebrar esse novo paradigma.

Atualização - Sobre os problemas técnicos do Twitter: 1) vejam o post do Twitter Brasil com os links para explicações da equipe da empresa. 2) Há boas explicações técnicas nos comentários do blog éle.agá.
Atualização 2 - Provavelmente continuarei a falar de Twitter nos comentários. Quero dar um tempo no tema para os posts... falar de outras coisas, como cloud computing.

6 comentários:

Gilberto Pavoni Junior disse...

Tenho conversado com algumas pessoas esses dias. Embora algumas, inclusive eu mesmo, acreditem que a indústria de Internet vive de hypes e bolhas, o Twitter é só um pedaço do burburinho em torno de Web 2.0. Como força do mercado, ele é mínimo. É, sim, representativo como comportamento novo, mas não como grande empresa ou força financeira.

Isso é um grande problema, porque só os mais fortes sobrevivem nesse ramo.

O que leva ao que muita gente está matutando nesse momento.... "só o Twitter pode matar o Twitter."

Gilberto Pavoni Junior disse...

Acho q dá pra pereber hoje que o Twitter teve um hype pq pessoas q trabalham on-line o dia todo viram nele uma forma de chat divertido. Qdo falhou como chat, fugiram.

mas, o Twitter ter falhado com chat para bloggers e nerd-group não é, talvez, nem 20% de desapontamento com seu potencial total.

Gilberto Pavoni Junior disse...

TEm uma outra coisa q o Twitter falhou. Ao retirar a opção de publicar todo mundo q eu sigo no Badge (essa janelinha aí do lado), matou a característica de plantão de notícias e coisas relevantes q eu quero compartilhar.

Isso e não o chat foi o q mais me decepcionou.

Régis disse...

Acho que nem o Twitter mata o Twitter. Ele já se tornou escravo do Deus Mercado: as empresas 'hypes' (ou seus estagiários de Marketing moderninhos) agora estão dominando o Twitter, com seus tweets pagos e perfis que seguem meio-mundo. Aí eu me pergunto: Será que isso dá resultado?

Gilberto Pavoni Junior disse...

Resultado? Isso não faz parte do vocabulário desse povo q é a quinterização do mkt das empresas: a agência, da agência, da agência da empresa.
Mas, um pouco, tem a ver com a mão de obra deles q é bem barata. Mesmo q não dê qq retorno em $$$ ou intenção de compra, vale a pena. Custaram tão barato....

Régis disse...

O pior é quando lançam um disco ou filme e te adicionam como se você fosse seguir esse povo. Provavelmente o estagiário (peço a Deus-Dará que seja um, para que se defenda alegando inexperiência) não sabe que a dinâmica do Twitter é o inverso das "grandes" mídias..

Marcadores em Destaque

 
Template design by Amanda @ Blogger Buster