segunda-feira, 10 de março de 2008

O feijão-com-arroz e o espírito da Internet

Me toquei de algo incrível durante minha participação na NewsCamp. O evento foi uma iniciativa de agrupar jornalistas com trato no mundo digital para trocar idéias.... qualquer idéia, como reza um sistema de desconferência, sobre Internet, comunicação e hipermodernidade.

Mas, como parece ser a tendência nesses encontros, o papo começou com "negócios":como faturar?

Teria abandonado aquela sala se não fosse a única na parte da manhã. E aí, já mandei uma questão q eu acho definitiva:

Primeiro, blog não é necessariamente um canal de entrada de dinheiro. Se o criador achar que é, deve se mexer para tal. Do contrário - e eu prefiro que seja assim - blog é essencialmente um canal pessoal de expressão. Pode ser noticiário ou não. Pode ser para muitos, pode não ser.

Nisso, defendi calorosamente que não há mercado hoje em dia no Brasil para todas as pessoas que querem faturar.... só em 2010. Aí, eu consegui olhares incrédulos, perdi alguns possíveis amigos virtuais... mas, pelo menos o debate esquentou. Um pouco da discussão pode ser vista aqui e aqui.

O momento mais dramático foi quando chegaram alguns professores e universitários ao evento. No calor da discussão sobre a importância dos blogs eu vi uma aluna com um Sony Vaio Rosa. Eu perguntei a todos quem dalí tinha blog. Quase ninguém. A dona do notebook fashion tampouco.

Eu falei q ela devia jogar fora o gadget (vc sabem o q eu penso sobre isso) e criar um blog pq isso tinha muito mais valor. Um blog ia crescer em importância e, muito provavelmente, ter condições de fazer dinheiro.. se fosse isso q ela queria. Enquanto isso, o equipamento perderia valor constantemente, sendo ultrapassado em dois anos, além de ser um peso desnecessário em uma cidade cheia de lans-house. ATUALIZAÇÃO: é possível ver a comoção causada no blog das estudantes.

Poucos minutos depois o grupo abandonou a conferência. Pelo que disseram foi porque metade da sala criou uma outra discussão sobre política e eles queriam falar sobre o be-a-bá dos blogs.
E foi isso q me chamou a atenção.

A necessidade do be-a-bá.

A Ale Carvalho, professora universitária, já tinha alertado. "Meus alunos não sabem o que é Spam ou WiFi". E, em poucas conversas desde o evento, eu venho descobrindo que isso é comum. As pessoas têm computador e conexão, sabem que existem blogs... mas, não têm nem sabem como isso modifica o sistema de comunicação informativa de uma economia consumista de massa. ----É uma elite universitária... ok?

Também lembrei que a editora de uma revista de interesse geral que escrevo, a Divulg - lá para o ABC Paulista-, me disse para tratar de temas mais básicos pq os leitores gostavam do assunto mas não entendiam tudo q eu escrevia.... aqui é um público mais amplo que o de cima... ok?

Pior, lembrei do que me disse sobre os Telecentros o secretário de Participação e Parceria de SP, Ricardo Montoro, numa reportagem que fiz para o jornal Valor Econômico no ano passado. Os usuários ficam 1h no local. Desse tempo, 45% tem de ser gasto em coisas "úteis",como enviar currículo e aulas sobre planilhas e editores de texto. Só 15% é para Orkut, Msn, blog.

..... isso não é ensinar cultura digital.

E...
...é bem preocupante.

Existe uma elite que sabe usar a Internet hoje no Brasil
. Isso, por um lado é bom, por outro dá o que coçar a cabeça num mercado em crescimento como o nosso.

Quem está entrando, não encontra quem ensine. Parece não haver "mestres" suficientes para ensinar as maravilhas da comunicação digital, que cria multiplos canais e traz liberdade de expressão e consumo. Em compensação, existe muita gente falando como é legal ter um Vaio ou um iPhone ou dizendo como é possível ter monetização no blog. Assuntos pertinentes, mas que deixam seus comunicadores num patamar de cima. Já tem gente ficando inatingível pq mostra sua classe social num iPhone ou obtém sucesso com o blog e consegue ganhar dinheiro com isso.

Temo que, se esse povo novato não for ensinado corretamente, se tornará somente gado digital. Vão consumir notícias dos jornais q já são famosos ou de uns poucos blogs famosos.

Haverá uma nova concentração.

As novas elites vão se aproximar das elites antigas...
... e isso não é o espírito da Internet.
x
x
------------------------
Em tempo. O pessoal que foi discutir política está armando um blog político, uma necessidade para quebrar estruturas... algo essencial e que pode finalmente mostrar alguma participação social de quem se autodenomina blogosfera. O projeto precisa ser bom - não na tecnologia, mas no resultado e na força. Um papo que existia em Brasília para jornalistas que iniciavam no mercado é que "o político mais bobo conserta relógio com luvas de boxe". Então, o blog vai precisar mostrar esperteza.

-----
ATUALIZAÇÃO
Agora, no parágrafo que eu falo do Vaio tem o link para o blog das estudantes. Há muita opinião mostrada lá sobre o caso e, para quem se interessar (pq eu fiz mesmo esse post por causa do arroz-com-feijão), tem muito material para ser analisado sobre cultura digital, técnicas de reportagem e, ainda, como um blog pode fazer essas duas coisas liquidificarem.

8 comentários:

Ale Carvalho disse...

Cara, o que vc falou de "gado digital" é o que vejo... Assim como eu vejo "futuros jornalistas" que detonam os jornalistas que criticam as Vejas, Globos e Folhas da vida. Gente de 20 anos, sabe? É uma droga de verdade. Putz, qdo eu tinha essa idade, fazia fanzine e distribuia, gastava parte da bolsa do estágio com esses projetinhos...E grande parte dessa galerinha que tem (quase) tudo na mão (como um sony rosinha e internet bandalarga), fica com uma preguiça infernal até mesmo de se cadastrar num e-group só pra receber informações(quer algo mais fácil que isso??).Apesar de tudo.... ainda acho que devemos insistir em mostrar que há mais coisa interessante nesse mundo da comunicação do que simplesmente fazer sucesso. Ou se pautar por quem faz sucesso a qualquer custo.
;)

Diogo Araújo disse...

GPavoni essa discussão é bem pertinente, principalmente a concentração das novas mídias num pequeno grupo. Está todo mundo perdido. agora, uma coisa precisa ser notada, todos esses eventos de web 2, 3 e 4.0 é feito para um mesmo tipo de público, o dos COM. Com dinheiro, com acesso às novas tecnologias e à velha mídia. Afinal, sempre que leio 'entrevista com blogueiros', surgem os mesmos de sempre, que tal como Jô Soares acham que podem ditar o novo mundo. Eu criei um blog nos idos de 2002, por causa das eleições, estava cansado da nossa mídia, principalmente a balela em torno de que esquerda e direita acabaram como conceito político. E a prova de que não acabaram é justamente essa discussão que vc teve neste newcamp. Mudam-se os elementos e só. O combate continua ....

Henrique disse...

giba
e vc. acha que a mocinha vai jogar seu lindo Vaio de R$ 7.999 no lixo pra sujar os dedinhos na Lan House?
bônus pra ela se já andou de metrô ou ônibus em SP!

Aenir disse...

Gosto do seu ponto de vista, caro Pavoni. Sem dúvida as pessoas que têm acesso à internet hoje em dia, não sabem bem como aproveita-la. Saiba que 80% do tráfego externo da internet brasileira é somente por causa do Orkut(que é hospedado nos servidores da Google, que por sinal não se encontram aqui). Esse, desviando um pouco do assunto, é um dos principais motivos que muitos analistas estão falando sobre o colapso da internet brasileira por falta de investimento em infra-estrutura.

Voltando à parte de interesse, discordo veementemente de você estereotipizar a tal garota com o notebook rosa. Em primeiro lugar,você não a conhece,portanto não tem como julgar se ela é ou não alguém com cabeça no lugar. Não é o fato dela ter um notebook que a fará melhor ou pior pessoa. Segundo, ela talvez se encaixasse no grupo que pessoas que estavam ali pelo be-a-bá. Pode até ser que ela realmente não saiba de nada, mas pelo menos existiu o interesse em saber.

Aceite o que vou dizer a seguir como uma crítica construtiva: Seu texto está muito confuso. Tente parar de destacar expressões com letras de diferentes tamanhos e cores. O máximo que você deveria usar era um negrito e olhe lá, com moderação. Cuidado com o vício da linguagem do MSN também. Vi várias ocorrências de "vc" e "q" aqui.

Bom, fico por aqui.

Abraços,e boa sorte com o blog!

Gilberto Pavoni Junior disse...

Ale - cada vez q vc me conta uma nova pérola de seus alunos eu fico assustado. Rio, como todo mundo. Mas, dá calafrio tb.
Henrique - obrigado pela visita, meu caro.
Diogo - Gente como vc precisa manter esse pensamento, principalmente de agora em diante. O crédito fácil vai enfiar um povão no consumo. Nisso, vai muita gente começar a analisar que eles já são "COM" só pela posse de bens. Sabe? Misturando consumidor com cidadão e tudo mais...
Aenir - Gostaria de ver muito investimento na Internet e num monte de coisas também. Mas, o país das Capitanias Hereditárias sempre impõe um viés de baixa nas esperanças populares.
Quanto ao estilo da escrita: é proposital. Meus textos em jornais e revistas seguem a gramática e os manuais de redação. Já aqui, no blog, é um teste de linguagem. Cheguei a complicar ainda mais a leitura fazendo textos só com links. Mas, virou uma poesia-ideograma do Gomringer. Continuo a testar para ver limites e apreciação pelos vários públicos. Obrigado pela visita.

Patrícia disse...

K-RALHO cara... Numa coisa eu tenho que concordar com essas patricinhas do VAIO Rosa... É RIDÍCULO você chegar num evento de debate e "cagar regra" pros outros sobre o que devem ou não devem fazer... Ainda mais com um conselho ridículo desses, "vai fazer blog porque é mais produtivo e te ajuda a ganhar dinheiro"... Tem merda na cabeça, amigo? Desde quando ter Google AdSense é ganhar dinheiro?
Dentre todos os Blogueiros do Brasil quantos ganham dinheiro, efetivamente, com seus blogs? Você tem tanto direito à sua própria opinião quanto eu tenho à minha e a guria ao Laptop dela. Deixa ELA decidir se quer ou não quer ter um laptop rosa, roxo com bolinha amarela, sei lá. Não fui no evento, mas pelo que li aqui fiquei com a sensação de que lá, nessa hora, você perdeu uma ótima oportunidade de ficar NA SUA, também conhecido como "respeitar a individualidade do próximo". Argh. Detesto "caga-regra".

Gilberto Pavoni Junior disse...

Puxa Patrícia, seu entendimento do texto foi tão claro que fico até sem palavras para te responder. Ainda mais com argumentos tão madruros.

Thiago Falcão disse...

pavoni,

preocupante, realmente, tudo isso que voce coloca. a questao do 'gado digital' dá horas de debate, alguns artigos, muita publicação e uma boa polêmica acadêmica na questão de inclusão digital e políticas sociais públicas. um excelente post.

Marcadores em Destaque

 
Template design by Amanda @ Blogger Buster