segunda-feira, 19 de maio de 2008

Do Twitter para o berçário

"O modo como as pessoas individuais definem individualmente seus problemas individuais e os enfrentam com habilidades e recursos individuais é a única questão pública remanescente e o único objeto de interesse público." (Zygmunt Bauman, no Modernidade Líquida, no capítulo Individualidade)

Felipe Augusto Guimaraes (na foto), nasceu as 9h10 de hoje. Antes de dar a primeira respirada, o filho do mineiro Samuel Guimarães já era celebridade para algumas pessoas. O parto foi transmitido ao vivo em posts no miniblog Twitter e a foto foi publicada na Web logo q o pai teve a chance.

Nascimentos em hospitais não são lá a coisa mais PRIVATIVA que existe no mundo. Mas, também, tirando uns popstars aí, não costumam ser assuntos de interesse para multidões.... pelo menos não eram. A frase aí em cima do Bauman deixa qq um pensando...

Esse, que pelo o que eu me lembro é o primeiro caso assim no Twitter aqui no Brasil, mostra três características dessa plataforma:

1) o Twitter é aberto à experimentações;
2) é livre para comunicar qq coisa em qq lugar (tendo meios para isso);
3) tem poder viral.

Eu soube do fato pela Raquel Camargo, estudante de jornalismo criadora do blog Twitter Brasil. O post "O nascimento do primeiro filho, em 140 caracteres" explica mais. Agora, faz pouco mais de uma hora que o garoto nasceu. A Raquel promete colocar mais detalhes de como o pai fez a cobertura e o que ele pensa desse caso todo. É que na Web a notícia nasce qdo ela é publicada, no jornal ela está pronta qdo é publicada....

Quando eu vi, avisei o Eduardo Vasques, editor da B2BMagazine. Ele, de saída para uma reunião, escreveu o fato em si e publicou. Eu achei tudo muito relevante e logo repliquei no serviço agregador de links Rec6. Mas, outros já haviam feito isso - copiaram a nota da B2B nos próprios blogs e botaram no Rec6 (o que mostra a relevância do fato).

Vc quer fazer uma conta de qual foi a audiência do nascimento do pequeno Felipe? Bom, no Twitter, samuel tem 82 peers, a Raquel 383, eu 439, o Vasques 181. Quem segue cada um desses aí também vira meio para disseminação do post para seus próprios peers. O Twitter ainda tem um mashup que é essa janelinha q aparece aí no lado esquerdo do Techboogie e permite q pessoas fora do blog de tirinhas vejam o que está rolando por lá. Tb tem a visitação de cada blog q saiu com o assunto, os leitores da B2B e... bom... agora, às 11h, acho q é tudo. Pode ter mais daqui a pouco.

... Uma loucura

Agora, se vc quer uma boa cobertura de mídia consolidada, com muito dinheiro e boas equipes cobrindo um nascimento. Não deixe de ver o especial "No Útero" (In the Womb) da National Geographic. Entre uma conta e outra para medir a popularidade do filho do twitteiro, vc verá lindas imagens de gravidez.

2 comentários:

WEB honey disse...

O Twitter é fantástico de fato, mas não sei porque escolhe o blogger rsrsrsrs

Adorei seu blog!

Gilberto Pavoni Junior disse...

WEB honey, obrigado pela visita. Sucesso no seu blog, vi q é recente. Olha, escolho o blogger pq é fácil. Nunca precisei aprender nada para postar ou fazer qq alteração. É suficiente para meu objetivo atual. Nada contra outros serviços ou ferramentas. É questão de adequação ao momento e a minha rotina.

Marcadores em Destaque

 
Template design by Amanda @ Blogger Buster