quinta-feira, 10 de abril de 2008

HiperNotícia é você quem faz, ainda

Confira antes as definições no dicionário.
Hiper - do Grego hypér; prefixo de origem grega que significa muito, em alto grau;para além.
Notícia - substantivo feminino que pode significar desde memória até novidade; entre outras explicações, está a de: assunto de interesse.

... e agüente minha consciência tagarela um pouco.
Eu sempre resmungo que o termo blog não define muita coisa ou define coisa demais. Mas, o conceito de notícia também sofre dessa doença (ou seria tem essa virtude? Já que por se encaixar em muitos lugares tem sua sobrevivência garantida?). Mesmo assim, uma hipernotícia seria uma notícia que se expande em todas as direções. Igual a se comprarar o conceito de cubo e hipercubo.

Bom, você eu creio que não é preciso explicar.

Mas, vamos à proposta. Na teoria, a Internet seria o melhor jeito de se construir uma hipernotícia. Em um texto, vários links, a inclusão de videos e podcasts, .... comentários, histórico do caso, biografia das pessoas, material adicional, etc... e tb mais etc.... poderiam enriquecer o fato exposto e abrir o leque para que cada pessoa consuma a notícia do jeito que achar mais conveniente e com a profundidade que achar necessária.

Mas, há um dilema aí. Tudo isso demora para ser construído pelo jornalista ou conteudista. Na Internet, o fator rapidez é primordial. Tanto na publicação quanto na renovação, quanto mais depressa melhor. Desse jeito, não há tempo para se construir a hipernotícia. O máximo que os portais e blogs conseguem fazer é fornecer uns links adicionais ao lado, embaixo (automatizados) ou no próprio texto (mais raro).

O ideal seria fazer a hipernotícia com superautomatização. Algo além do que existe hoje, usando inteligência artificial para colecionar os gostos do consumidor de notícia e buscar referências e modos de mída que ele mais se identifique. O dados viriam de diversos lugares por onde essa pessoa passou e deixou alguma pista ou formulário sobre suas preferências. Seria uma combinação surpreendente de IA, SOA, SaaS, Web Semântica, Web 2.0 e talvez mais uma dezena de termos para definir "rapidez, abrangência, relevância e comodidade".

Nunca vi nada parecido com isso. O modelo da Amazon, há tempos, é o melhor exemplo para ver o quanto essa simples capacidade de poder conhecer o usuário e entregar o que ele pede é importante e causa grata surpresa. Mas, ainda não é isso.

Por enquanto, depende de nós a construção de uma hipernotícia.

Vamos ver isso na prática, usando como ponto de partida o texto sobre a pendenga Justiça x Wordpress, publicado na Folha, em 9/04. A seguir, eu edito, e somente um trecho, como exemplo de uma hipernotícia. Também assumo o estilo voltado a iniciados na web, diferentemente de um jornal de massa. No texto-base, incluo outras fontes q tive contato durante as últimas horas e alguma pesquisa sobre fatos e personagens. A linguagem se afasta dos manuais de redação e se aproxima da informalidade dos posts. (são explicações para evitar discussõesposteriores).

WordPress pode ser bloqueado por decisão judicial da 31ª Vara Civil de São Paulo. Tudo isso por causa de somente um dos blogs hospedados por lá, acusado de expor um vídeo constrangedor sobre uma pessoa, cujo nome é mantido em sigilo pela justiça mas já é conhecido de muitos brasileiros conectados. A ameaça ao WordPress ocorre na mesma semana na qual o Orkut recebe ordem de se deixar vasculhar pela CPI contra a pedofilia. Lembram do caso Cicarelli? E adiantou alguma coisa além de chatear e censurar uma multidão por causa de um?
Agora vou repetir o texto com observações entre parênteses de como a notíica seria expandida. Notem que alguns itens podem ir para várias direções, novamente = cubo x hipercubo.

WordPress pode ser bloqueado por decisão judicial da 31ª Vara Civil de São Paulo (outras decisões envolvendo a Vara, link para o wordpress, números do uso de blogs no Brasil, o que são blogs e o q é o wordpress). Tudo isso por causa de somente um dos blogs hospedados por lá, acusado de expor um vídeo constrangedor sobre uma pessoa, cujo nome é mantido em sigilo pela justiça mas já é conhecido de muitos brasileiros conectados (pessoas q afirmaram saber de quem se trata ou dão mais pistas sobre o caso 1, 2, 3). A ameaça ao WordPress ocorre na mesma semana na qual o Orkut recebe ordem de se deixar vasculhar pela CPI contra a pedofilia (link para CPI, para a Safernet, para a notícia relacionada nesse ponto, blogs contra a pedofilia dentro do wordpress, promotorias da infância e juventude, campanhas). Lembram do caso Cicarelli (link para o caso, fóruns, bio da apresentadora e do namorado)? E adiantou alguma coisa além de chatear e censurar uma multidão por causa de um (link para a declaração da autora do "GenerationY" sobre a censura do blog em Cuba, casos semelhantes na China, Turquia, link para o Megarotic que ainda tem o video da Cicarelli, como usar tecnologia para driblar bloqueios)?
Esses são apenas alguns dos links possíveis. Eu nem me preocupei em ir atrás de podcasts e outras mídias da web. A quantidade de saídas (ou expansões) no meio da notícia é imensa. Algo praticamente inviável de fer feito para um modelo comercial hoje em dia.

Eu demorei 10 minutos para digitar o primeiro texto e talvez demorasse mais uns 5 minutos para colocar no gerenciador de conteúdo os links relacionados que circulariam a nota. Em compensação, demorei 1h para fazer o esquema de links acima, isso pq era um post que eu fiquei pensando nele desde ontem de tarde. Sem contar q a leitura fica impossível sem uma interface que facilite a organização e a visualização dessa massaroca de letrinhas e links.

Por isso, somente uma extrema automatização resolveria esse dilema do modelo de hipernotícia para empresas jornalísticas. Do contrário, muito tempo é gasto -- tempo esse que deveria ser usado para atualizar o portal com mais notícias.

Cabe ao leitor a capacidade de transformar o cubo em hipercubo, a notícia em hipernotícia.

(repararam q eu fiz uma metahipernotícia, usando a explicação da hipernotícia para divulgar o caso WordPress e gerar uma reflexão em cima de fatos parecidos?.... é... comunicação é um treco muito doido atualmente.)

4 comentários:

Pedro Markun disse...

caching!

e se trabalhassemos com essa expansão do texto de forma colaborativa e descentralizada?

e se tivessemos co-links?
www6.ufrgs.br/limc/PDFs/colinks.pdf

e se o jornalismo fosse linking journalism e reduzissemos o tempo de preparo da notícia?
www.readwriteweb.com/archives/link_journalism.php

para a revolução acontecer é preciso mudar não só o formato da notícia como também rever os processos de produção da mesma :)

Diego disse...

Não sei, me parece mais um problema da ferramenta utilizada. Embora a Web seja realmente uma revolução na comunicação, obviamente não é a solução perfeita e acabada. E a possibilidade de interatividade e interconectividade ainda depende de algumas dezenas de cliques, inerentes ao próprio modelo de web que conhecemos.
O Ted Nelson que inventou os conceitos de hipertexto e hipermídia (ou pelo menos diz que inventou) diz que está trabalhando em um novo modelo de WWW, pois este nunca o convenceu.
Dá pra ler um pouco mais sobre isso e ver alguns esboços em http://translit.org/.

Marco Aurélio disse...

Eu acho que os sistemas de anúncios contextualizados são o que temos de mais próximo disso que você espera: inteligência artificial que cria links para conteúdo relevante. Então o negócio seria ferramenta de anúncios + motor de busca + aplicações web.

Google?

Gilberto Pavoni Junior disse...

Pedro, Diego e Marco.... e aí o final do texto:

- Para ter uma hipernotícia, hoje, nada melhor do que o Google. Como vcs acham q eu colecionei tantos links?

Marcadores em Destaque

 
Template design by Amanda @ Blogger Buster